Boogarins é fruto da psicodelia que só cogumelos secos do cerrado goiano podem proporcionar.
O EP “As plantas que curam” foi lançado esse ano e pode ser baixado nesse link, são seis faixas em 19 minutos.
O que disseram:
Rolling Stone (4 de 5): “Com tons de folk, blues, ruídos e psicodelia, os goianos do Boogarins fizeram brotar o lúdico As Plantas que Curam, uma charmosa tradução de paz e amor em efeitos e distorções com letras em português. (…) Com o nome extraído de uma espécie de jasmim, o Boogarins surge como uma das saborosas exportações recentes da música brasileira.”
Pitchfork (7,1/10): “Seus ouvidos para melodia são muito mais fortes e sofisticados do que os da maioria das bandas de sua idade.”
Destaque pro cuidado que os caras tiveram com os timbres dos instrumentos e com os efeitos, que emulam perfeitamente os sons psicodélicos dos anos 60.
Pra quem gosta de: Patrulha do Espaço, Supercordas, Mutantes, Vanguart, Tame Impala.

Esse é o On the run #1: impressões rápidas sobre os sons ouvidos durante as corridas.
Ouvi “As plantas que curam”, do Boogarins pela primeira vez no treino de 30/12/13: 7.31km em 01h:01m:56s, vel.média 7.09km/h.