Literatura, Rock

Ouvindo & lendo

Terminei as “Crônicas de Gelo e Fogo – A Fúria dos Reis”, e logo mergulhei no terceiro livro da série, “A Tormenta de Espadas”, um tijolo de mais de 800 páginas. Nem tenho ideia de quando vou acabar esse.
Entre os discos, estou ouvindo no repeat o “RAM”, disco que Paul e Linda McCartney gravaram em 1971. Não tem jeito, meu beatle favorito é mesmo o Sir Macca. Este disco foi gravado nas férias do casal na Escócia. Excelente.
“Greatest Hits & More”, do The Who, é um apanhado da banda que ouço falar muitíssimo bem e sempre negligenciei. Essas coletâneas são ótimas para ver a evolução da sonoridade da banda.
Ouvindo também “Bunderbuss”, lançamento do Jack White, disco mediano na carreira do americano, e “Strangeland”, do Keane. Sei que este último me faz soar meio guei, mas sempre achei que minha hombridade sonora já estava muito comprometida por curtir os chorões do Coldplay, então…

Standard
Rock

“Love Is Blindness”, clássico do U2 numa versão do Jack White

Jack White Love is Blindness by martyriemer

Jack, play the blues!
Olha o set da homenagem aos 20 anos do crrrrááássico Achtung Baby, meu preferido álbum dos manos irlandeses:

Nine Inch Nails – Zoo Station
U2 (Jacques Lu Cont Mix) – Even Better Than The Real Thing
Damien Rice – Um
Patti Smith – Until The End Of The World
Garbage – Who’s Gonna Ride Your Wild Horses
Depeche Mode – So Cruel
Snow Patrol – Mysterious Ways
The Fray – Trying To Throw Your Arms Around The World
Gavin Friday – The Fly
The Killers – Ultraviolet (Light My Way)
Glasvegas – Acrobat
Jack White – Love Is Blindness

A coletânea foi intitulada de “AHK-Toong BAY-bi Covered”.

Ví no MTJ e no Blog do Grings.

Standard