Rock

Muso

Projeto colaborativo dos espectadores dos shows do Muse no Brasil, que abriu os shows do U2. Baixe em HD aqui.

Standard
Rock

U2 360º Tour em São Paulo

Uma experiencia rock-político-espacial.
É uma boa definição do que aconteceu neste sábado, 09 de abril, no estádio do Morumbi, em São Paulo.
Após uma espera de 4 horas – pra alguns uma vida toda – o Muse abriu os trabalhos de uma noite perfeita, em que som e luz se entrelaçaram num espetáculo fantástico.

Muse em São Paulo, 09/04/2011 (foto: D.Payá)

Muse em São Paulo, 09/04/2011 (foto: D.Payá)


Matt Bellamy (vocal, guitarra e piano), Christopher Wolstenholme (baixo, voz secundária e teclado) e Dominic Howard (bateria e percussão) mostraram competência em sua tarefa de esquentar o público para a atração principal com 8 músicas, mesmo debaixo da fina chuva que caía sobre o estádio.
Setlist completo:
1- Uprising
2- Supermassive Black Hole
3- Stockholm Syndrome
4- United States Of Eurasia
5- Hysteria
6- Starlight
7- Plug In Baby
8- Knights of Cydonia
Como é natural nesses eventos, apenas alguns recursos do palco foram utilizados pelo Muse.

Após sua apresentação, um relógio gigante anunciava que a hora estava chegando.
Primeiro “Trem das Onze”, de Adoniran Barbosa começou a sair dos alto falantes, e na sequência a contagem regressiva de “Space Oddity”, de David Bowie, foi o prenúncio do lançamento do foguete futurístico instalado no centro da garra.
A partir daí foi uma catarse coletiva.

U2 360º Tour em São Paulo, 09/04/2011 (foto: D.Payá)


A missa espacial começou com o reverendo Bono fazendo seus fiéis acreditarem que nada podia ser melhor do que a realidade, com “Even Better Than the Real Thing”.
The Edge com suas dezenas de guitarras e milhares de efeitos colocou o público para pular, enquanto Adam Clayton e Larry Mullen Jr davam o rítmo com uma das cozinhas mais bem equipadas do mundo.
O palco, monstro gigantesco projetado para conter os quatro irlandeses, é como um camaleônico integrante com vida própria, com suas diferentes colorações e formatos.
O conhecido engajamento político da banda foi lembrado com palavras do ativista sul-africano Desmond Tutu, antes de One, e com as lanternas da Anistia Internacional. Bono também fez uma média com o filho de John Lennon, Julian, que estava presente, fazendo os 89 mil presentes cantarem “Happy Birthday” para ele.
No final uma homenagem às vítimas do Realengo fez com que todos se emocionassem.
O gran finale foi com “Moment of Surrender”, deixando-nos com a certeza de ter participado de uma noite fantástica, cheia de luzes e sons e emoções que nos transportaram para algum lugar perdido de uma galáxia muito, muito distante.

Setlist completo:
“Even Better Than the Real Thing” – (Achtung Baby)
“I Will Follow” – (Boy)
“Get on Your Boots” – (No Line on the Horizon)
“Magnificent” – (No Line on the Horizon)
“Mysterious Ways” – (Achtung Baby)
“Elevation” – (All That You Can’t Leave Behind)
“Until the End of the World” – (Achtung Baby)
“I Still Haven’t Found What I’m Looking For” – (The Joshua Tree)
“Stuck in a Moment You Can’t Get Out Of” – (All That You Can’t Leave Behind)
“Beautiful Day” – (All That You Can’t Leave Behind)
“In a Little While” – (All That You Can’t Leave Behind)
“Miss Sarajevo” – (Passengers)
“City of Blinding Lights” – (How to Dismantle an Atomic Bomb)
“Vertigo” – (How to Dismantle an Atomic Bomb)
“I’ll Go Crazy If I Don’t Go Crazy Tonight” – (No Line on the Horizon)
“Sunday Bloody Sunday” – (War)
“Scarlet” (October)
“Walk On” – (All That You Can’t Leave Behind)

Bis:
“One” – (Achtung Baby)
“Where the Streets Have No Name” – (The Joshua Tree)
“Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me” – (trilha de Batman Eternamente)
“With or Without You” – (The Joshua Tree)
“Moment of Surrender” – (No Line on the Horizon)

Abaixo algumas das fotos que fiz no evento:

UPDATE: publiquei mais fotos no Picasa. Pra acessar, clique nesse link.

Standard
Rock

Bandas: Muse


O Muse vai abrir os shows do U2 no Brasil.
Eu tinha visto apenas um ou dois clipes dos caras na MTV, então não conhecia muito sobre a banda.

Considerando que 8 entre 10 seresteros estarão no mega evento daqui a 15 dias, resolvi dividir com vocês os resultados de minhas pesquisas. Nada que não possa ser encontrado nas wikipédias por aí, mas enfim…

O Muse é uma banda de rock alternativo da Inglaterra, mais especificamente da cidade de Teignmouth, no condado de Devon. Foi formada em 94 por Matthew Bellamy (vocais, guitarras, piano, teclados), Christopher Wolstenholme (baixo, backing vocals, teclados, guitarras, harmonica) e Dominic Howard (bateria, percussão, sintetizadores, backing vocals, sampling). Em 2006 juntou-se ao Muse Morgan Nicholls (teclado e percussão).

A banda se destaca pela energia e extravagância de seus shows e seu som é caracterizado por uma mistura de progressivo, rock alternativo, rock[bb] espacial, pop, metal e eletrônica.

Lançaram cinco discos de estúdio: Showbiz (1999), Origin of Symmetry (2001), Absolution (2003), Black Holes and Revelations (2006), e The Resistance (2009). Além disso, lançou três albuns ao vivo : Hullabaloo Soundtrack (2002), Absolution Tour (2005) e HAARP (2008).

Os caras são super elogiados pela crítica, e seus trabalhos receberam prêmios importantes, como um Mercury Prize pelo Black Holes em 2006, cinco MTV Europe Music Awards, indicados a três Grammy, tendo ganhado o Grammy de Melhor Album de Rock por The Resistance. Até novembro de 2010, tinham vendido 10 milhões de discos no mundo todo.

Estão na capa da NME este mês, e a entrevista completa, traduzida, pode ser lida aqui.
Específicamente sobre o show que abrirá a noite para o U2, deve ser mais curto do que normalmente fazem. A parte sulamericana da 360oTour já começou, e o setlist do Muse no show[bb] feito no Chile foi de 50 minutos, com as músicas abaixo:
1. Plug In Baby
2. Resistance
3. Time Is Running Out
4. United States Of Eurasia
5. Uprising
6. Starlight
7. Stockholm Syndrome
8. Knights of Cydonia

UPDATE: A @merozinha cobrou minha opinião. Pois é, faltou mesmo. É que estou digerindo a parada.
Mas do que ouvi posso dizer que gostei de muita coisa, especialmente a temática espacial.
Músicas que falam de colisões estelares, buracos negros ou que comecem com os acordes de Contatos Imediatos de Terceiro Grau agradam a qualquer nerd.
Algumas letras tem teor político, outras melodias são inspiradas em Chopin – ou seja, os caras sabem exatamente o que estão fazendo.
Em alguns sons há uma afetação e grandiloquência que as vezes cansam, mas em geral as canções são bem construídas, com guitarras em sua maioria pesadas e recursos de eletrônica e música clássica que formam uma mistura interessante.

No vídeo abaixo, “Supermassive Black Hole”, do Black Holes And Revelations

Muse from David Tree on Vimeo.

Standard